Glass Magazine se encontra Harry Shum Jr, estrela de Shadowhunters e Crazy Rich Asians
10.08.2019

Harry Shum Jr é muito mais que um galã comum de Hollywood. Um ator, cantor e dançarino, Shum provou ser uma ameaça tripla, com o charme, perspicácia e boa aparência para apoiá-lo. Nascido em San José, Costa Rica, Shum mudou-se para São Francisco com seis anos de idade e rapidamente desenvolveu uma paixão pelo teatro. Apesar de mergulhar no drama, não foi até ele fazer um teste para a equipe de dança do colégio em um desafio que ele começou a treinar como dançarino e coreógrafo, um feito que o levaria a papéis como Mike Chang no drama de comédia de sucesso Glee.

Desde então, Shum, de 36 anos de idade, floresceu criativamente, estrelando em vários papéis musicalmente carregados, bem como seu papel mais exigente ainda, Magnus Bane na série sobrenatural Shadowhunters. Um feiticeiro generoso, completo com delineador, esmalte preto e uma abundância de jóias de metal, Shum roubou os corações de homens e mulheres em todo o mundo através desse papel. Esticando seu currículo de atuação ainda mais, no ano passado, Shum apareceu em Crazy Rich Asians em uma cena de créditos como Charlie Wu, terminando o filme com uma indicação de uma trama romântica entre ele e a personagem Astrid na próxima sequência.

Shum também anunciou no final do ano passado que sua esposa, colega atriz e dançarina Shelby Rabara, estava esperando sua primeira filha. Com a paternidade em seu horizonte, conversamos com Shum sobre o fim de Shadowhunters, a representação asiática em Hollywood e as mudanças no ano à frente.

Glass: 2018 foi um ano enorme para sua carreira! Você apareceu em Crazy Rich Asians e, claro, continuou seu papel como Magnus Bane em Shadowhunters, você pode nos contar alguns dos seus próximos planos para 2019?

Harry: Sim, além de trazer outro humano para este mundo que eu estou animado sobre. Há muito mais preparação do que qualquer outro show que já fiz, são nove meses completos de tempo de preparação. Mas, você sabe que com Shadowhunters estreando em breve, eu estou animado para os fãs verem o fim da saga para este mundo todo, e especificamente interpretando um tipo de personagem que significou muito para tantas pessoas ao redor do mundo.

Glass: Crazy Rich Asians foi um grande marco para a representação da cultura asiática em Hollywood, e tem muitas lições importantes sobre amor, família e relacionamentos. Que lições você gostaria que sua futura filha tirasse do filme?

Harry: Eu acho que a coisa mais bonita sobre o filme foi a autovalorização e saber disso, descobrindo isso, seja sua própria família ou sua futura possibilidade de se casar com outra família, ou mesmo apenas as pessoas ao seu redor. Sabendo que você é digno o suficiente para estar no lugar em que você está, e para mim eu queria passar essa tradição de família. Para mim, é incrivelmente importante. Com isso em mente, também quero que as pessoas desafiem essas tradições, essa é a única maneira de progredirmos e avançarmos. Esse é o tipo de coisa que eu quero passar para minha filha, sobre encontrar o equilíbrio, não inclinar para um lado mais do que outro, e ser capaz de entender de onde as pessoas estão vindo.

Glass: Você teve a honra de interpretar vários personagens diferentes, desde um bruxo sombrio e maníaco até um bilionário de tecnologia da comédia romântica. Quais são os papéis mais atraentes para você e por quê?

Harry: Eu não procuro papéis que normalmente não tenham voz ou que sejam uma representação que não tenha voz. Isso acaba sendo assim. Eu me deparei com um monte de papéis que eu tive a sorte de interpretar, muitos desses personagens acabaram, das cartas de fãs que recebo e da resposta que recebo, parece que eles nunca tiveram esse tipo de personagem, como um Magnus Bane ou um Mike Chang. Eles mostram um tipo de personalidade que as pessoas tendem a ressoar. Eu acho que, para mim, eu gravito em direção a personagens que normalmente não têm voz, que não entram em um estereótipo que vimos em outros filmes.

Glass: Sua série Shadowhunters, em que você interpreta Magnus Bane, consequentemente, deu-lhe a melhor representação bissexual no Prêmio de Representação Bissexual. Você pode nos dizer como foi interpretar um personagem LGBTQ, especialmente na apreensão da conclusão dos shows deste ano?

Harry: Sim, você sabe que foi uma infelicidade a forma como o show está terminando, mas ao mesmo tempo está conseguindo um final adequado, que é algo que eu estou muito feliz com a forma como podemos envolvê-lo. Para poder interpretar esse personagem, você sabe que é uma honra ter uma perspectiva diferente, trabalhar com o programa me deu uma nova perspectiva da comunidade LGBTQ e interpretar esse personagem foi algo realmente especial. O relacionamento que Magnus Bane tem com Alec Lightwood, não é apenas retratado como um relacionamento gay típico, mas é normal, você os encontra em situações domesticas, o que é bom considerando a loucura de seu mundo. Além de descobrir o que eles vão comer no jantar, acho muito legal ver a parte normal de suas vidas, em vez de apenas vê-los como um casal LGBT. Tem sido muito especial.

Glass: Shadowhunters é uma das séries sobrenaturais mais populares de hoje. Com ela chegando ao fim neste ano você poderia se imaginar assumindo um papel em outra série sobrenatural/de ficção científica?

Harry: Absolutamente. Há algo de muitos mundos diferentes, tantos tipos de personagens, este estamos lidando com lobisomens, vampiros e bruxos, um dos primeiros em que eu vi feiticeiros dessa maneira. Então, eu acho que há espaço para tanta coisa e muito gênero. Sim, eu diria que ficaria totalmente triste.

Glass: Então, a coisa que eu mais amo no seu personagem Magnus Bane é o seu jeito de se vestir. Ele é conhecido por ser muito excêntrico, gótico e sobre o tema. Você pode me falar sobre algumas das suas coisas favoritas que você teve que usar no papel?

Harry: Sim, Shelley Mansell é a figurinista. Nós íamos para as trocas que levavam de duas a quatro horas, e às vezes nós teríamos que ter cinco ou seis mudanças de roupa diferentes, o que tiraria que experimentar talvez 15 roupas diferentes. Para mim, muitas vezes em papéis, eu seria como “oh essa jaqueta parecesse legal, ou aqueles sapatos parecessem legais” mas para esta era completamente construída do zero. Às vezes você pode pegar uma jaqueta e experimentar o corte, mas nesta foi feita de um arranhão completo, que foi um processo muito legal de se fazer parte.

Entender o que Magnus usaria e como Magnus elogiaria ou criticaria o estilo era muito importante. Uma coisa engraçada que acontece quando eu entro no set algumas vezes, quando eu não estava de maquiagem, as pessoas nem falavam comigo, porque elas só me conhecem como Magnus Bane quando estou no set. Metade do tempo, eu estaria ao lado deles e eles nem sequer se apresentariam para mim. Toda a transformação com a equipe é realmente incrível, é como ter outra pele, é realmente legal.

Glass: Com a sequência de Crazy Rich Asians em andamento, China Rich Girlfriend, nós vamos mergulhar em seu personagem Charlie Wu. Você pode nos dizer algo sobre o personagem e sua história no próximo filme?

Harry: Sim, não há muito que eu possa realmente dizer, mas eles estão desenvolvendo isso agora, eles estão trabalhando nisso, nos livros que Charlie Wu são, eu posso ser parcial, mas é uma das minhas histórias favoritas. Ele e Astrid, é uma linda história de amor, e esse romance é incrível, e eu acho que nunca esteve nessa escala, neste elenco e neste mundo. Então, estou muito animado para ver o que os escritores inventaram, eles fizeram um trabalho incrível adaptando o primeiro livro, e o segundo livro tem tantos detalhes, tantos momentos extravagantes e sinceros que eu sei que há um muito para encontrar, então eu não posso esperar para isso chegar. É incrível o que se tornou com o filme, e estou ansioso para fazer a continuação.

Glass: Com Shadowhunters se concluindo, e você se tornando pai em 2019, este ano terá grandes mudanças reservadas para você. O que você está pensando no próximo ano?

Harry: Para mim, estou esperando a paternidade. Agora, o que é interessante, e eu entendo que vai ser um trabalho duro, e uma criança agora para mim está realmente trazendo de volta um elemento sobre o cuidado, tudo no meu trabalho sobre cuidar dos outros personagens, eu vou trazer isso para cuidar de uma criança. Tudo isso tem sido incrivelmente importante para mim, mas também estou analisando alguns outros projetos agora, mas tenho que ter certeza que penso nela primeiro. Tenho certeza que será muito emocionante!

Fonte: Glass Magazine
Tradução: Harry Shum Jr Brasil